A imperfeição gera perfeição


O Reino de Deus Adverte: Pare de querer a perfeição, você é imperfeito! Temos a mania de sonharmos com um alguém “perfeito”, sem manias, sem traumas, sem dores… e mais e mais coisas que deixam a lista quilométrica. Às vezes temos a oportunidade de conhecer alguém, começamos a descobrir afinidades e com o tempo também descobrimos os defeitos e pensamos: Não, este alguém não é para mim!

Infelizmente, esquecemos que somos errantes, totalmente imperfeitos e que não podemos exigir a perfeição de ninguém. Observei que quanto mais tempo passamos solteiros buscando e esperando em Deus um romance, mais exigentes ficamos e isso é muito sério, pois podemos perder a pessoa certa por pura vaidade.

A verdade é que fantasiamos demais nossos sonhos, determinamos regras demais, caprichos demais e isso deixa-nos cegos. Não conseguimos enxergar que para um quebra-cabeça ser montado é necessário ter peças diferentes. Não é a questão de dizer que “os opostos se atraem”, não é isso. A verdade é que precisamos conhecer alguém além da nossa lista de “requisitos”; precisamos entender que em todo relacionamento existe uma troca.

O bom de um relacionamento não é a igualdade, mas justamente a diferença que existe nele. Um gosta de cuidar, o outro gosta de ser cuidado. Um gosta de ler, o outro gosta de ouvir música. Um gosta de agitação, o outro gosta de calmaria. É fácil amar as qualidades, mas suportar os defeitos é também um ato de amor, isso significa que você sabe o quanto é imperfeito e que você entende como a outra pessoa é diferente de você; significa que você é sábio o suficiente para conviver com as manias de alguém sem que isso diminua seu sentimento por ela.

É necessário termos a maturidade de reconhecer que somos imperfeitos e que não podemos exigir de ninguém a perfeição. Devemos lembrar que na vida somos eternos aprendizes e que cada pessoa tem algo para ensinar. É através do outro que somos moldados, que temos uma nova percepção do mundo. Não existe imperfeição maior ou menor que a outra. Somos feitos de lado positivo e negativo.

Para estar com alguém é necessário abrir mão do próprio eu. Só é possível viver um sentimento sincero quando permitimos que alguém viva no nosso mundo da maneira que ele é. A verdade é que quando realmente estamos dispostos a deixar o outro fazer parte da nossa vida, precisamos aceitá-lo totalmente, seja ao nosso “olhar” positivo ou negativo. Ninguém é perfeito, inclusive você.

Não poderemos experimentar a essência de um sentimento duradouro se continuarmos insistindo em manter nossa lista de exigências, nosso olhar crítico e fechado, nossas palavras ríspidas e incompreensíveis, nossa visão fechada dentro da nossa caixinha de “orgulho de si mesmo”.

Quando deixamos de lado a “tendência” de querer encontrar somente os pontos que enchem nosso ego, descobriremos que a imperfeição do outro pode é a perfeição pela qual estávamos procurando. Lembre-se: A única perfeição entre duas pessoas deve ser o amor e a dedicação ao mesmo Deus e propósito.

Esse artigo é uma contribuição de nossos leitores.

Autora: Lidiane de Souza Cunha, 29 anos. Jornalista. Poetisa. Romântica. Adora ler, escrever, ouvir música e assistir filme. Abraça o amor e procura o que é eterno.

Email: lidianescunha.jornalista@gmail.com

Twitter: não uso

Facebook: facebook.com/lidiane.cunha.56

Site: não tenho

Youtube: não tenho

seta

CONHEÇA NOSSA LOJA ONLINE