A importância da confissão

Olá pessoal!

Tudo bem?

Como na maioria dos artigos, vou tratar sobre um assunto que aconteceu comigo nesta manhã.

Na verdade, foi entre eu e meu esposo. Estamos tentando mudar alguns hábitos aqui em casa, e com o fim do horário de verão, estamos acordando mais dispostos e mais cedo. Então, decidimos retomar nossas caminhadas, e fomos andando até a praia para nos exercitarmos no calçadão. Reconhecemos a graça de Deus sobre nós pois moramos há alguns quarteirões do mar, e vemos isso como um mimo da parte d’Ele.

Após chegar em casa, fomos tomar café e oramos…Mas, antes de orar eu resolvi ler o devocional e ele falava sobre confessar a Deus algumas coisas que estavam ocultas em nossos corações… Logo, vimos o Senhor falando conosco, e orando na sala de nosso lar, confessamos ao Pai nossas falhas, e ali nos quebrantamos diante do altar… Pedimos a Deus que nos ajudasse nos pontos em que não havia constância em nós e que um avivamento chegasse ao nosso coração. Ao levantarmos, sentimos paz e leveza no espírito, e vimos que o próprio Deus havia preparado aquela oportunidade.

O nosso dia foi entregue ao Senhor e decidimos sempre iniciarmos nossas manhãs assim. Ao longo das horas, pensei muito na palavra que o Senhor nos entregou e decidi compartilhar aqui. Logo, Deus me lembrou que eu passei por um momento semelhante à três anos atrás, onde eu confessei a minha mãe algo que eu escondi por anos, pois tinha muita vergonha do que eu havia feito. Embora eu achasse que receberia uma reação após confessar o meu pecado, fui surpreendida por atos de amor por parte dela, e fui perdoada. Após isso, senti como se o “mundo” tivesse sido tirado das minhas costas, e fui livre.

Se hoje estou aqui escrevendo para você, foi porque Jesus me libertou através dessa confissão. Fui curada! O pecado que estava enraizado em mim foi arrancado naquele momento, e Jesus veio com seu bálsamo sobre a ferida que logo cicatrizou! A confissão me fez livre! O diabo não podia me acusar mais! Eu havia pedido perdão ao Senhor, mas senti que precisava confessar a minha mãe, pois não queria esconder mais nada de ninguém.

Muitas pessoas carregam dentro de si pecados ocultos. Jesus comparou a nossa vida a uma casa, que devia ser edificada sobre uma rocha, que era o próprio Deus… Logo, eu entendo que esta casa, é cheia de “quartos” e “cômodos” que muitas vezes encontram-se trancados… Nós muitas vezes não permitimos que Jesus entre nesses lugares, porque eles estão sujos, entulhados de sentimentos e pecados obscuros… Não entregamos a chave de tudo a Deus, e vamos guardando tudo aquilo que não presta neste espaços… Porém, existe um momento em que precisamos deixar a Luz de Cristo entrar e iluminar tudo, pois o Espírito Santo não habita em lugares assim! Ele deseja mudar o nosso interior e preencher as nossas vidas por completo, ao ponto de que tudo aquilo que estava oculto, venha para a luz gerando a vida de Deus em nós.

Uma das maneiras de deixar Jesus entrar é através do arrependimento e confissão de pecados. É claro que Ele sabe de tudo que se passa conosco, mas o Senhor deseja ouvir de nós à verdade.

A palavra nos diz em 1 João capítulo 1, versículo 9 que “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça.”. Ou seja, precisamos dizer a Deus aquilo que está em nosso coração. Não existe ninguém que seja tão santo que não precise se lavar no sangue do cordeiro todos os dias. Todos nós temos sempre algo o que melhorar… Peça a Deus hoje para que Ele te mostre aquilo que existe dentro de você que precisa ser mudado ou que não O tem agradado… Como o Pai fez comigo nesta manhã, fará com você também.

Ainda, existe o fato de que precisamos confessar aos nossos irmãos as nossas culpas. No livro de Tiago está escrito “Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados.”. Nisto eu percebo que quando vou a um irmão em Cristo, e confesso algo, estou gerando cura nos relacionamentos e restaurando a comunhão. Quando escondemos em nosso interior ira, mágoa entre outros sentimentos ruins, estamos gerando o oposto a reconciliação, e sim o afastamento.

Desta forma, compreendo que a confissão é o reconhecimento tanto de pecados específicos quanto de que o pecado precisa ser perdoado.

Em meu devocional estava escrito: “Há indivíduos que são ótimos em apresentar desculpas. De fato, algumas vezes dizem “sinto muito” sem na verdade admitir qualquer falta. Esses são os pedidores de desculpas profissionais. Já a verdadeira confissão significa reconhecer que erramos e admitir o pecado.”.

O que você tem sido: Um pedidor de desculpas ou alguém de coração arrependido?

Faça uma autoanálise: Há algo em você que não agrada a Deus e precisa ser confessado?

Hoje confessei a Deus que muitas vezes tenho dito coisas que não o agradam, pois as palavras têm sido influenciadas por mágoa e crítica. Pedi a Deus que me ajude a melhorar e que Ele traga o equilíbrio do céu as minhas atitudes.

Precisamos nos alinhar com o Pai, pois “aquele que diz que permanece n’Ele, esse deve também andar assim como Ele andou” (1João 2:6).

Que nestes dias que virão, o Senhor te traga a memória aquilo que você precisa confessar, e quais “quartos” precisam ser iluminados em sua vida. Desejo ainda, que seja gerado em ti um coração arrependido.

Lembre-se: Um coração quebrantado e contrito o Senhor não desprezará.

Até a próxima quinta!

Deus te abençoe!

Kamila Carvalho Borges.

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 
mm

Kamila Carvalho Borges

Cristã, advogada, casada com Lincoln Borges.