Aproveite a jornada

Esse não pode ser o fim. As coisas não podem acabar aqui. A vida não pode ser só isso. Tem que haver algo mais!

Todo mundo alguma vez na vida já teve algum desses pensamentos. Todo mundo mesmo. E a resposta é bem simples: não, não acaba aqui. Sim, a história continua. Nós não nascemos para morrer. Entre o começo e o “fim”, tudo pode acontecer. Há uma história acontecendo.

Eu sempre fui fascinada por ler, e nas páginas dos livros eu compreendi um dos maiores princípios da vida: não faz bem ler o livro todo de uma só vez só pra saber o que acontece no final. A gente corre os olhos nas palavras morrendo de curiosidade pelo próximo capítulo, mas a última página é uma sequência inevitável para quem não desistiu da leitura. Por que é que em um livro de 350 páginas a gente corre pra chegar rápido na 350 se a história é o que acontece nas 349 páginas? Pensa aí.

Em um mundo colossal desses, a gente se encaixa em um destino só nosso. Eu não tô falando daquele tipo de destino que as novelas falam. Eu tô falando de propósito. Eu tô falando de acordar todo dia sabendo que todas as coisas cooperam para que esse propósito se cumpra. Eu tô falando de empenhar a vida em algo que você sabe que vale a pena se entregar. É saber que cada aspecto da sua jornada não é perdido. Com os olhos nesse propósito, a gente entende que faz parte de algo muito maior — que não acaba aqui. Mas achar que a vida só acontece quando a gente “chegar” nesse destino é um erro. O destino só existe por causa da jornada. E é ela que negligenciamos.

A gente precisa aprender a apreciar os nossos meios, por mais sem sentido que eles pareçam. Nos vales profundos, nas subidas e descidas perigosas, nos caminhos estreitos e sinuosos é que a história acontece. Os topos das montanhas não são a história, eles são apenas a celebração de tudo aquilo que temos vivido. Entre eles, há os dias em que nada parece acontecer, nada parece ir pra frente, nada parece fazer sentido. Mas eles são a história que nós não percebemos que está acontecendo. Eles são as 349 páginas que estamos passando com pressa por causa da 350. Eles são o agora — a única coisa que de fato é nossa. O passado e o futuro não nos pertencem, mas o presente é nosso.

Se eu puder te dar um conselho, eu digo: aproveite a vida, mas o faça com sabedoria. Cada dia são 24 horas que nunca mais vão acontecer de volta. A jornada já começou. Protagonize sua história.

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 

Sâmela Ribeiro

Uma quase engenheira civil que ama café, viagens, gatos, violão, Netflix, gente e Jesus - não necessariamente nessa ordem.