Cara de um, focinho do outro


Esses dias perdi meu RG. Simplesmente, não sei onde o deixei; se caiu na rua, se esqueci em algum lugar, se foi pro lixo, não faço a menor ideia. Minha distração com as muitas questões do dia a dia, boas e/ou ruins, fez com que a perdesse. E posso dizer? Foi assustador! É assustador! Não conseguir resolver alguns assuntos burocráticos onde seria necessário tal documento é desconfortável. Ainda que eu tenha outros documentos que comprovem que eu sou eu ou poder tirar uma nova via do mesmo posteriormente, é extremamente angustiante andar na rua sem identificação. Portar uma xerox, mesmo autenticada, não é a mesma coisa.

Mas, como uma simples numeração num pedaço de papel plastificado pode direcionar, atrasar ou adiantar nossa vida? A resposta é que, como há bilhões de pessoas no planeta, seria uma forma de diferenciar um do outro de um jeito rápido e simples, dentre tantas opções.

Então pensei: “Ora, mas, eu sei que eu sou eu. Minha família sabe que eu sou eu. Meus amigos e colegas sabem que eu sou eu”. Mesmo que eles não conheçam as numerações dos meus documentos, sabem que eu sou eu. Continuei com meus pensamentos e vi que ainda que eles saibam meu nome, meus costumes, manias, hábitos, defeitos, qualidades e outras coisas…eles NÃO me conhecem.

Foi ai que percebi que não é essa numeração quem me direciona ou qualquer outro sistema de identificação. RG, CPF, digitais, passaporte, CNH, arcada dentária, minha íris ou até o DNA, absolutamente nada disso pode mostrar minha identidade; não minha REAL identidade. Ninguém me conhece; não como Deus me conhece. Tendo Ele mudado minha condição de criatura pra filho (Jo 1:11-13), pude entender (e provar) um amor incomparável, inigualável, imensurável, inatingível (Is 49:15,16).

Mas, vivemos tempos obscuros. Tempos de não conhecimento de uma paternidade celestial, preferindo permanecer como criaturas e, consequentemente, sem identificação; tempos de uma descaracterização dos filhos do Pai, agindo como simples xerox (autenticadas eclesiasticamente ou não); tempos de uma completa perda identidade do Reino, falsificando o que, outrora, era genuíno.

Identidade significa pertencimento. E nesse caso, pertencimento a Ele. Seja por culpa minha (Gl 5:19-21) ou das circunstâncias que me cercam é que perco minha identidade Nele.
E quando sua identidade é perdida, defraudada, esquecida, não descoberta, maculada, adulterada, enganada, SÓ HÁ UM que a pode restaurar: o mesmo que lhe deu.

Finalmente, consegui tirar a 2ª via do meu RG perdido.
No entanto, minha identidade continua intacta. Além de Sua imagem e semelhança…sou filho!

seta

CONHEÇA NOSSA LOJA ONLINE