Carta aos aflitos

“Como a chuva e a neve descem dos céus e não retornam para eles sem regarem a terra e fazerem-na brotar e florescer, a fim de que ela produza sementes para o semeador e pão para os que dele se alimentam, assim também acontece com a Palavra que sai da minha boca: ela não voltará para mim vazia, mas realizará toda a obra que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei.” Isaías 55:10-11

Ele falou, a luz existiu. As trevas já não puderam permanecer. Luz e escuridão não coexistiram no mesmo espaço. Ele falou e o céu se estendeu ao comando da sua voz. Ele falou e as águas obedeceram ao seu comando. Ele falou e a vida foi autorizada a existir. Suas palavras eram autoridade máxima no universo. O Criador estava falando: a existência parou para ouvir. E obedeceu.

Todo começo e fim se apoia nessa voz. Não há nada que possa existir antes do decreto de Deus. Quando Deus diz que vai fazer alguma coisa, ele vai fazer. Ele JÁ fez. Quando ele decide que algo será feito, será feito. Está feito. É só uma questão de tempo. Pode o inferno e o mundo todo tentar frustrar – está feito. Não há como dividir o coração em dúvida quando se conhece a natureza divina de Deus. Todas as coisas – TODAS – trabalham juntas para que o propósito dele se cumpra. Deus é Deus sobre todas as coisas. Deus é Deus sobre a maldade dos homens. Deus é Deus sobre nossa pequenez. Nesse caminho, nós só precisamos confiar – e se aquietar na sua presença até que nosso coração reconheça quem Ele é. E esse caminho não é em vão.

Entre a promessa e o seu cumprimento, há um processo quase sempre doloroso. Grandes coisas e alguns sofrimentos são duas faces da mesma moeda. Comprometa-se com o processo. Não tenha pressa de terminá-lo. O fim dele é trabalhar você para que você saia dele muito melhor do que entrou. Sofrimento não é um obstáculo. É uma oportunidade para que Deus te use como nunca antes. Todos passam por problemas, a diferença é o que fazemos dos nossos problemas. Deus não nos projetou para “passar” pelos sofrimentos mas para que triunfemos sobre eles. O seu anseio é que esse processo nos leve a um novo nível. A vida é feita de começos e fins – cabe a nós decidirmos viver ordinariamente ou extraordinariamente. A escolha é inteiramente nossa.

Quando os salmos foram escritos, uma palavra de difícil tradução era usada quando algo muito importante era dito – SELÁ – que, segundo estudiosos, significa “aquiete-se e pense sobre isso calmamente”. Às vezes, tudo o que precisamos na nossa vida é de “selá”. Precisamos aquietar o coração e colocar em ordem a nossa alma. Não tente vencer essa batalha sozinho. Não tente “dar os seus jeitinhos”. Seja melhor do que ontem. Entregue a Deus os seus inícios e não deduza os fins. Eu sei que o caminho traz medo, insegurança, noites mal dormidas – ou sequer dormidas, lágrimas, frustrações e tantas outras coisas. Mas aquilo que foi decretado nos Céus por aquela voz – a voz que determina o começo e o fim de todas as coisas – vai acontecer. Nenhum palavra voltará vazia. Ele conhece os corações e sabe de tudo o que se passa nos bastidores. Ele nunca falhou e não vai falhar. SELÁ.

“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. SELÁ. Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não se abalará. Deus a ajudará, já ao romper da manhã. Os gentios se embraveceram; os reinos se moveram; ele levantou a sua voz e a terra se derreteu. O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. SELÁ. Vinde, contemplai as obras do Senhor; que desolações tem feito na terra! Ele faz cessar as guerras até ao fim da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo. Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre os gentios; serei exaltado sobre a terra.O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. SELÁ.” Salmos 46:1-11

Ore comigo: “Deus, eu não sei porque estou passando por todas essas coisas, mas de uma coisa eu sei: Tu és Deus sobre todas as coisas. Ensina-me a dançar sobre a frustração a fazer poesia da minha dor. Que reine a Tua paz na minha confusão. Eu confio, ainda que eu não possa ver. Prevaleça a Tua vontade sobre a minha. Minha alma se apoia em cada palavra que sai da Tua boca. Em Teu nome. Amém”

Foto: Renata Guimarães

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 

Sâmela Ribeiro

Uma quase engenheira civil que ama café, viagens, gatos, violão, Netflix, gente e Jesus - não necessariamente nessa ordem.