Dormência

Uma das piores e mais estranhas sensações já ocorridas no meu corpo é a de dormência. Geralmente, quando me ponho em uma determinada posição e nela permaneço por um longo período de tempo ou quando parte do meu corpo está em contado com algo muito frio/congelado, essa estranheza me pega de surpresa.  Se for nos pés ou pernas, então, mal consigo ficar de pé. Tenho de me alongar e me movimentar até aquele formigamento desaparecer.

Segundo o Dr. Michael C. Levin (MD, Professor of Neurology, University of Tennessee Health Science Center), a dormência refere-se à perda parcial ou completa da sensibilidade. Pessoas com dormência podem não conseguir sentir um toque leve, dor, temperatura ou vibração, ou mesmo saber onde as partes do seu corpo estão (sensação de posição). Elas podem ter problemas com equilíbrio, coordenação e caminhar. A dormência ocorre quando uma parte da via de sensações funciona mal, geralmente por causa de distúrbio ou medicamentos.

Existem também outros tipos de dormência. Aquelas que afetam a sensibilidade quanto à dor do outro; desde as mais brandas – as que algumas pessoas que trabalham em hospitais, por exemplo, sentem por verem feridos a todo instante e não se abalam mais com as horríveis imagens; às mais intensas (e na minha humilde opinião, muito mais graves que esses formigamentos) – aquelas que não conseguimos nos colocar no lugar do sofrimento do outro, querendo os minimizar. A primeira, talvez, sirva como uma proteção pra que elas consigam realizar seu rotineiro trabalho, enquanto que a segunda, diz respeito à falta se humanidade mesmo (Mt 24:12).

Identifico ainda, uma outra dormência que certamente, é pior do que todas as outras: a dormência da falta do temor de Deus (Pv 1:7). E (pasmem) não me refiro a pessoas que ainda não tiveram suas vidas entregues a Cristo (esses trato numa outra oportunidade). Refiro-me àquelas que JÁ SABEM acerca da Verdade, porém, NÃO A CONHECEM (Jo 8:32). Já são filhos de um Pai presente, mas, essa relação de paternidade não é manifestada em INTIMIDADE gerada por eles, logo, ainda são prisioneiras dessa dormência.
Dormência aonde princípios ETERNOS são negociados ou quebrados em nome de algo que chamam ser “Evangelho do Reino de Deus”. Só que Deus nunca, jamais, em hipótese alguma QUEBROU SEUS PRINCÍPIOS PRA COMPRIR SEUS PROPÓSITOS; NUNCA (Gl 1:6-10 / Ap 3:14-21)!

Há um perigo muito grande de pensarmos que a presença do Senhor está conosco (digo, a aprovação – 1 Sm 13:13,14 / 1 Sm 15:22) e ela se foi há muito tempo; tanto quanto, é assustador o Senhor está ao nosso lado e nós nem percebermos a sua presença (Lc 24:15,16,29-32).
Certamente isso ocorre, porque ainda há uma enorme quantidade de “eu” dentro dos que assim pensam/agem. Tornaram-se senhores das suas próprias vontades.

Acerca da dormência falei no começo: “Geralmente, quando me ponho em uma determinada posição, e nela permaneço por um longo período de tempo…”, ou seja, permaneço no MEU QUERER e não percebo os movimentos que Deus faz; não consigo discernir a voz do meu Pai, no meio de tantas vozes.

A “cura”? Bom…ela existe SOMENTE pra quem realmente a quer (Jo 3:30 / Lc 14:26,27,33-35).

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 
mm

Elmo do Couto de Oliveira