Estou em crise

A vida é como uma caixa de surpresas. Estamos sempre na expectativa de viver as bênçãos, no entanto muitas vezes nos deparamos mesmo é com as crises da vida. O fato é que todos passamos por crises e nem sempre vemos isso como algo positivo.

Apesar de ser dolorosa, a crise pode nos proporcionar muitas conquistas ao seu final dependendo da forma como você irá “encará-la”. Você pode enxergar um problema como um obstáculo no seu caminho ou pode optar por vê-lo como um degrau da escada do seu sucesso. A solução de uma crise depende fundamentalmente da forma como você a vê, mais do que a mudança das circunstâncias. Isso porque mesmo que as circunstâncias mudem, se não houver uma mudança de mentalidade as conquistas não são mantidas. Na verdade, quando nós mudamos por dentro as circunstâncias externas, por consequência, também tenderão a mudar.

Analisando os aspectos positivos da crise, vejo quatro pontos fundamentais:

1. A crise conduz à purificação pessoal
A prata é purificada à altas temperaturas. Quando submetida ao fogo, todas as suas impurezas se sobressaem e assim podem ser removidas. O mesmo acontece conosco, somos tão preciosos quanto a prata para Deus e por isso Ele permite que as crises apontem nossas impurezas. Quando estamos passando por uma crise nossas piores tendências pecaminosas afloram: murmuração, pessimismo, sensação de impotência, dúvida, medo, crítica, autosuficiência. São aqueles pecados que nem sempre percebemos, ficam ocultos dentro de nós até o momento em que a crise acontece. A purificação será uma decisão pessoal. Quando permitimos ser purificados, Deus remove de nós as mais profundas impurezas e isso elimina muitas barreiras para a conquista dos nossos propósitos.

“E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata; e purificará os filhos de Levi,
e os refinará como ouro e como prata; então ao SENHOR trarão oferta em justiça.”
(Malaquias 3:3)

2. A crise nos conduz a novas posturas
Tenho aprendido que ser crente vai muito além das palavras, envolve as atitudes e as posturas que tomamos diante das circunstâncias. Muitas vezes temos atitudes externas que não condizem com as atitudes internas. Sabemos o que precisamos fazer e não fazemos. Sabemos o que precisamos deixar para trás e não deixamos. A crise nos faz sair do comodismo e por isso nos sentimos tão desconfortáveis. Para superá-la somos forçados a eliminar tudo o que não procede da mentalidade de Deus em nossas vidas e impelidos a reconhecer e assumir nossas responsabilidades. A coragem, o ânimo, a vontade, a automotivação são de nossa responsabilidade e não de Deus como muitos pensam. Em Josué 1:9 Deus diz à Josué: tenha bom ânimo! Esforça-te! Enquanto isso, muitos esperam que Deus dê força, até oramos pedindo a força, mas essa força precisa ser gerada dentro de nós por nós mesmos!

3. A crise aponta para um “cenário incompleto”
Às vezes temos a impressão que a nossa vida é como um palco de espetáculos, onde estamos sempre aguardando o próximo número, o próximo milagre. Porém tem certos momentos que parece que as cortinas do palco não se abrem nunca e ficamos ansiosos. O que acontece é que o cenário ainda está incompleto e por isso o que esperamos não acontece. É isso que a crise nos mostra, que há muito o que fazer e que as coisas não acontecem no tempo em nem da forma como queremos mas sim no tempo e na forma de Deus. O que fazer então? Neste caso, devemos continuar firmes nos sonhos e promessas que recebemos, caminhando para sua concretização.

“Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do SENHOR
permanecerá.”(Provérbios 19:21 )

4. A crise nos faz retornar ao foco
Dentre os motivos da crise está a perda de foco. Quando perdemos a direção original para a conquista dos nossos propósitos, ficamos perdidos na caminhada sem saber o que fazer. A crise nos força a refletir onde foi que nos perdemos para que possamos retornar e recomeçar nossa jornada.

“Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer
conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para
a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer
que andares.”(Josué 1:7)

Enfim, a crise tem o propósito muito nobre de nos purificar, nos levar a tomar novas posturas e nos mostrar o que ainda falta para a realização dos nossos projetos de vida assim como retornar ao foco original. Existem coisas que só nós podemos fazer e outras que só Deus pode fazer. Não há como subverter os papéis, mas há como mudar nossas perspectivas em relação às crises da vida.

Saiba que Deus tira o seu chão para firmá-lo na Rocha. Dessa forma, deixamos a autosuficiência e a justiça própria para viver na verdadeira CONFIANÇA, que não se baseia em nossas vontades nem em "achismos", mas sim na Soberania dAquele que é o único a ter o controle sobre todas as coisas.

Que as suas crises sejam um marco para grandes mudanças em sua vida!

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 
mm

Simone Messina Gomez

Simone Messina Gomez. Funcionária pública e escritora cristã. Membro da Igreja Bastista Nacional de Santa Maria, RS. Autora do livro O valor de estar solteiro e de muitos outros que estão por vir! Casada com Pedro Tasca Gomez. Ministramos seminários sobre Vida de solteiro, Romance Real e Santidade. Contato: simessina@gmail.com