Não desista!


Nesse exato momento, as loucuras que fiz o semestre todo pra dar conta do recado (a.k.a passar a madrugada estudando, emendar segunda na segunda, ficar fazendo trabalho por 12 horas seguidas, comer sempre correndo e semelhantes) vieram cobrar a conta com juros e correções… Sim. Nem o polivitamínico adiantou. Mas não faça isso com sua vida. Eu estou errada. E só estou contando isso para introduzir uma historinha porque eu sei que nesse exato momento muita gente está querendo desistir, seja lá do que for.

Eu sei como é. Quando a gente precisa ficar um pouco ausente e abdicar de algumas coisas, a gente “precisa se esforçar um pouco mais”. Eu também já ouvi coisas do tipo “duvido que seja tudo isso.” E já me acostumei com as comparações: “como que eu consegui e você não?” Na verdade, eu já ouvi de tudo e já senti toda a gama de emoções possíveis. Claro, ao longo dos anos parei de desabafar para as pessoas erradas e aprendi a ignorar certas coisas. Com o tempo para de doer, vai por mim. Realmente, algumas pessoas só veem o que querem ver. E quando tudo isso passar, eles dirão que “foi sorte”. Mas só a gente sabe da jornada que trilha.

Eu acho que muitos de nós já vivemos o suficiente para entender que a vida é composta de estações entrelaçadas de uma maneira que nem sempre conseguimos compreender. Alguns dias estamos vivendo tempos de absurda alegria e realização, outros são tempos em que sequer conseguimos sentir alguma coisa. Já perdi muito tempo tentando entender porque algumas coisas aconteceram comigo. Queria entender, a todo custo, porque eu tinha de passar por aquilo. Queria que houvesse uma resposta, um porquê, uma razão. Queria entender os meus erros ou ao mesmo saber “onde” errei. Não encontrei explicação. Não cabia ao momento encontrar um culpado. Não era uma daquelas questões de responsabilidade. Eram estações que fugiam da minha capacidade de compreensão. E eu não tinha uma resposta, eu só tinha perguntas.

Demorei para entender que tudo bem se a gente não tiver respostas. Às vezes, a resposta vem com o tempo, e por isso é preciso não ter pressa. Esse tempo nem sempre a gente controla. Podem ser minutos, podem ser anos. Não há como deixar ao alcance da nossa humanidade uma grandeza que não estamos prontos para manejar. Mas há como colaborar com o processo sabendo viver, porque aprender a viver é uma necessidade tão importante quanto a própria vida. E para saber viver você vai precisar de uma conexão direta com o Arquiteto do Universo. A vida foi soprada por Ele, em uma composição que ninguém jamais conseguiu entender. Sobrevivemos de teorias, tateando o escuro, sem conseguir comprovar nada. Ele, no entanto, estava lá quando tudo aconteceu. E Seus olhos estão sobre nós ainda que não possamos ver.

Eu não ia postar isso porque a exposição de certas coisas me incomoda, mas sinto que muita gente se sente extremamente incompreendida em certas fases da vida. Eu não posso ficar de braços cruzados. A depressão, a ansiedade, a síndrome do pânico e tantas outras doenças do século estão aí na próxima esquina para roubar nossos sonhos e projetos, nossa força e nossa determinação. E eu sei, do fundo do meu coração, como elas são reais. Eu já vivi isso. Se precisar de ajuda, não se sinta mal por isso. Se falhar, saiba que você pode recomeçar. Não queira provar nada a ninguém mas contente-se em se superar a cada dia. Nem sempre obtemos os melhores resultados, mas esse não é o fim mais nobre. Nobre é lutar suas batalhas e aprender as lições que cada uma delas tem pra ensinar.

Com o tempo a gente aprende que nem sempre tudo dá certo. Mas o que é dar certo? Sair da maneira que esperávamos? E se o “dar certo” for outra coisa? E se estivermos errados a respeito do que esperar? Eu só sei de uma coisa. Se esperarmos tudo ficar bem para encontrarmos a felicidade, nunca, de fato, seremos felizes. Se tudo der errado, tente se lembrar que essa é sua única chance de viver. O amanhã não nos é prometido. Então, viva! E não se preocupe quando for mal interpretado. Preocupe-se com o que Deus tem a dizer a respeito de você. Ele te vê quando ninguém mais vê. E Ele o vê com olhos de amor e graça, maravilhosa graça. Não desista.

Sâmela Ribeiro
Sâmela Ribeiro Facebook Twitter Imprimir

Uma quase engenheira civil que ama café, viagens, gatos, violão, Netflix, gente e Jesus - não necessariamente nessa ordem.

seta

CONHEÇA NOSSA LOJA ONLINE