Não dói, mas machuca


Machucar e doer soam instantaneamente como sinônimos perfeitos, mas semana passada descobri que não é bem assim. Deus gosta de usar coisas simples do meu dia a dia para conversar comigo.

Tive que passar por um pequeno procedimento cirúrgico essas semanas por conta de um probleminha simples. Foi algo simples mesmo, rápido, nem deu tempo de acordar o nervosismo , pelo contrário, fiquei muito foi curiosa e acordada para não perder o fio da miada.

Eu nunca mais tinha tomado uma anestesia local, naquela tarde puder sentir novamente a sensação de “sentir e não sentir” ao mesmo tempo. Quem já levou anestesia local sabe, é uma sensação bizarra, você sente que tem alguém te tocando, mexendo em você, te furando, mas não sente dor, é hilário. Passei o tempo todo encantada com aquilo, até que tive uma “brilhante” ideia.

Eu estava pendente na minha esteticista e estava precisando tirar o buço, risos, quando percebi que a anestesia podia me ajudar a fazer esse sofrido procedimento sem sentir dor, então, logo perguntei da Dra. “Quanto tempo dura essa anestesia?”, ela disse que cerca de 2 horas mais ou menos.
No mesmo momento apressei as ideias para arranjar uma pinça ou até mesmo uma daquelas folhas de cera fria que se compram nas farmácias. Sabe porque? Eu não sei você, mas todas as vezes que eu tiro o buço, eu espirro que nem uma condenada, é tirar e espirrar, tirar e espirrar, além da dor né, quem já tirou buço sabe, é o ó, parece que estão tirando meu cérebro pelos minúsculos poros do meu rosto.
Consegui aproveitar a anestesia para tirar o buço, risos, tirei o primeiro pelinho e nada, não senti dor, até abusei, confesso, do poder de ser “uma mulher maravilha indolor”, puxava o pêlo bem devagarzinho, hahaha, me senti, repedi isso várias vezes como quem dissesse para eles “Ganheii, vocês não me causam mais desconforto”. Só que, no meio dessa brincadeira, fiquei com uma vontade tão grande, tão grande, tão grande de espirrar, como nunca senti antes, e o efeito da anestesia ainda estava a todo vapor, a vontade foi tão grande que me descontrolei espirrando, o pior que não podia pegar muito no meu rosto porque estava todo com curativo, etc, resultado, espirrei que nem uma doida, estraguei o curativo e compliquei a cirurgia.
Lógico, tudo deu pra ajeitar, graças a DEUS, minha Dra. é demais e tem muita paciência, risos.
Mas aprendi uma lição..

Às vezes pode não doer, mas machuca, isso serve para estripulias como essa e para a VIDA com certeza.
Quantas vezes me vi numa situação assim, quantas vezes não passamos por situações assim e nem percebemos? Você já passou?

Existem relacionamentos que são assim, por mais abusivos que sejam, não nos geram dor em algumas situações e confundimos momentos alegres com relacionamento feliz, no entanto, as consequências não tardam para chegar, nos deparamos com pessoas absolutamente controladoras, ciumentas e que externam em nós todas as experiências ruins que tiveram anteriormente, mesmo que sem perceber. Não confrontamos o problema por achar que “com o tempo ele(a) vai perceber que eu sou diferente, que não é desse jeito”, mas, o único que tem o poder de realmente mudar o coração do homem é o ESPIRITO SANTO e não você, muito menos eu. Para que essa mudança ocorra é preciso que a pessoa admita e trabalhe com o Espírito Santo nessa mudança. Não adianta jogar para baixo do tapete, uma hora a anestesia passa, e mesmo ainda com o efeito dela, as consequências chegam, alguém tira o tapete e toda poeira sobe.

Tem situações que somos nós mesmos que pegamos a agulha da anestesia mais potente e colocamos voluntariamente nas nossas emoções só para não sentir na hora o que sabemos que vai nos machucar, mas, até que ponto isso vai funcionar? Será mesmo que vale a pena?

Precisamos encarar de frente, como pessoas fortes e corajosas, Deus nos ajudará, para resolver os nossos problemas e não postergar uma dor.

Não acredite em todos os sorrisos solícitos, às vezes não estão rindo para você, mas DE VOCÊ. Não dói na hora, mas depois você consegue sentir a consequência sagaz de uma atitude meramente indolor. Algumas amizades chegam tão prestativas, amorosas, carinhosas que raramente temos a coragem de sondar se é verdadeira ou não, afinal, tudo está harmônico e a favor. Mas que Deus nos ajude a ter discernimento apaziguar as intempéries da vida com sabedoria, fortaleza e eficácia.

Pensar no ser humano como projeto falido nunca será uma opção, eu continuo acreditando em flores inesperadas, amigos de verdade, amores verdadeiros, café com risadas sinceras, abraços fieis e altruísmo. Se eu tenho mudado, todo mundo pode mudar também.

Cuidado com o que parece não doer, talvez isso possa machucar.

A falta de dor não é sempre um sinal verde, é preciso analisar as situações com destreza para não se enganar com as “anestesias da vida”.

“Quem examina cada questão
com cuidado prospera,
e feliz é aquele que confia no Senhor.”
Pv. 16:20

Até a próxima, amigos. Beijos no coração.

mm
Marjorie Leite Facebook Twitter Imprimir

Entre Príncipes e Princesas| Missões - Ribeirinhos do Amazonas

seta

CONHEÇA NOSSA LOJA ONLINE