Home Artigos NÃO SOFRA COM A SEPARAÇÃO

NÃO SOFRA COM A SEPARAÇÃO

259
0

O que é mais seguro: Experimentar algo novo, que você não conhece e corre o risco de se frustrar se não estiver de acordo com as suas expectativas ou pesquisar sobre o assunto antes de  experimentar e se poupar de uma frustração?

Quando as nossas expectativas são correspondidas é maravilhoso, ficamos muito contantes, mas quando não são a frustração e o sentimento de derrota são inevitáveis. Muitas pessoas permanecem frustradas durante anos e alguns nem conseguem superar, outros só superam depois de buscar ajuda profissional e etc…

Quando vamos adquirimos um produto novo, por exemplo,  geralmente pesquisamos o que as pessoas estão falando sobre o produto na internet, buscamos opinião de amigos que já tenham para saber se funciona, pesquisamos o preço, a loja, a reputação da loja, a garantia em caso de defeitos… Tomamos uma série de cuidados antes de fazer a compra, PRINCIPALMENTE se for um investimento alto como uma câmera, um celular, para que não tenhamos que arcar com prejuízos depois. Concordam?

Mas as vezes somos muito cuidadosos em outros contextos, mas quando se trata do nosso coração, nós simplesmente fazemos NÃO TOMAMOS OS CUIDADOS NECESSÁRIOS e nos frustramos. Mergulhamos de cabeça em relacionamentos rasos, com pessoas que mal conhecemos, que não convivemos, que não sabemos de onde vieram, em qual contexto familiar foram criadas,  não conhecemos o caráter, os gostos, os defeitos… E aí depois de estar TOTALMENTE envolvidos, já é tarde para observar esses aspectos SUPER IMPORTANTES que se tivessem sido avaliados ANTES de assumir um compromisso, poupariam bastante energia.

Vários fatores nos levam a agir dessa forma, o principal deles é a carência. Eu estou solteira a algum tempo, também tenho meus momentos de carência, mas quando penso no tipo de relacionamento conjugal que eu quero ter, o tipo de pessoa que eu quero atrair e todo investimento que eu fiz na minha vida ao longo desses anos, penso que não vale a pena abrir mão de tudo isso por uma simples aventura, mas vale a pena esperar para compartilhar a vida com alguém que esteja preparado e que te dê o devido valor, que faça jus ao investimento que você fez em si mesmo.

Muitos se guardam durante anos e de repente, num momento de fraqueza, jogam fora anos de investimento, de espera em santidade por aventuras momentâneas.

Se você quer viver algo DURADOURO e poupar o seu coração de viver A FRUSTRAÇÃO DA SEPARAÇÃO, eu quero compartilhar uma dica com você: desenvolva a AMIZADE INTENCIONAL.

Já ouviu naquele ditado: “se não serve pra ser amigo (a) não serve pra ser marido/esposa?” Ele faz muito sentido porque quando convivemos como amigos independente de um compromisso, quando não estamos totalmente envolvidos, conseguimos enxergar aspectos MUITO IMPORTANTES para decidir se vale a pena investir nessa pessoa ou não. Não tem problema nenhum em se aproximar, pelo contrário, se existe um interesse, é até saudável que conversem, se conheçam, convivam, descubram afinidades e desenvolvam um relacionamento de amizade como qualquer outro para formar uma opinião. Apenas CONVIVENDO você poderá avaliar os valores da outra pessoa, se ela tem características que você admira e defeitos que você suporta.

O que acontece na maioria dos casos é que somos levados APENAS pela aparência, nos entregamos, ligamos as nossas almas, alguns até se casam por impulso tendo apenas a questão física como base do relacionamento, têm filhos e depois de alguns POUCOS meses ou anos juntos descobrem que não se suportam e se separam. Investiram TUDO e não deu certo.

Mas concordam tomando alguns cuidados esse tipo de transtorno  que às vezes envolve a vida de outras pessoas também (filhos, família) pode ser evitado?

Infelizmente não temos como voltar atrás em algumas escolhas, mas podemos tomar um posicionamento diferente PARA AS PRÓXIMAS.

Quero te encorajar a avaliar e se aproximar da pessoa, caso voê esteja interessado em alguém, APENAS como amigo (a) e SEM DEFRAUDAÇÃO (1Tes 4:6) , ou seja, sem gerar no outro expectativas que não serão supridas naquele momento, mas desenvolver uma amizade intencional pode evoluir para um relacionamento amoroso se houver interesse mútuo, mas que se não evoluir,  ninguém se machucará e a amizade permanecerá porque não houve comprometimento emocional nem defraudação.

Há alguns anos atrás, eu me aproximei de um amigo que eu estava interessada. Começamos a ter um convívio mais próximo, congregávamos na mesma igreja, andávamos com os mesmos amigos, participávamos das mesmas atividades… Até que depois de alguns meses, durante uma das nossas conversas, eu disse que o admirava não apenas como amigo, mas como alguém em potencial para desenvolver um relacionamento amoroso. Ele avaliou por algumas semanas, depois conversamos novamente e ele disse que não sentia a mesma coisa. Como eu não envolvi meu coração, fiquei tranquila. Não houve sofrimento. Eu aceitei a opinião dele e a nossa amizade seguiu normalmente como antes. Hoje, alguns anos depois, ele conheceu outra moça, se apaixonou por ela, se casarão no início do próximo ano e eu terei a honra de ser madrinha da união deles.

Isso serve para vermos que quando desenvolvemos um relacionamento maduro de amizade, ele permanecerá. Nada melhor do que se casar com alguém que se tornou um super amigo(a), não é mesmo? É muito comum ver casais que estão juntos mas NÃO SÃO AMIGOS, o que dificulta bastante a convivência, principalmente se os gostos são muito diferentes.

Mas também se essa amizade não evoluir para um compromisso,  o carinho, o respeito e a parceria continuam igual, como eu contei na minha experiência.

Sei que o texto está um pouco longo, mas meu coração queimou para compartilhar esse assunto com vocês essa semana.

Se fez sentido para você, me segue lá no Instagram (@carladuarte.rj) e compartilha sua experiência comigo no direct.

Um forte abraço,

Carla Duarte