O QUE EU APRENDI EM CINDERELA

Contei no @blogdade que Cinderela sempre foi a minha princesa favorita da Disney. Já perdi as contas de quantas vezes assisti ao filme e sonhava acordada com toda aquela história.
Então, como já era de se esperar, eu assisti ao filme Cinderela duas vezes no cinema! No meio do filme (na minha segunda vez, é claro!kkk) eu pensei eu fazer um post especial sobre Cinderela. Durante a história tantas lições de otimismo são passadas, que resolvi juntar as que eu aprendi e é claro que tem algumas sobre relacionamento e príncipe encantado, né?rs

1. Seja gentil e tenha coragem.

Conselho de mãe vale ouro. E foi esse que a mãe de Cinderela deu para ela: seja gentil e tenha coragem. Ela repetiu isso várias vezes durante o filme e agiu dessa maneira mesmo quando as situações pediam que ela fizesse o contrário. Coragem para não ter medo diante das situações e gentileza para tratar todas as pessoas que se aproximam de nós. Fácil não é, mas é a maneira que lidamos com cada situação que nos faz crescer e nos tornar pessoas melhores. Acho que vou pegar carona nesse conselho e tentar ter mais coragem e agir com gentileza todos os dias.


2. O mundo não gira ao nosso redor.

Considerar o próximo superior a nós é totalmente bíblico. Pessoas que agem assim entendem que o mundo não gira ao redor de ninguém. Cinderela percebeu isso e durante várias partes do filme ela mostra isso.
Quando um mensageiro chega para dar a notícia de que o pai da Cinderela morreu, ele está totalmente abalado e cansado. Mas antes de ter seu próprio chilique, Cinderela reconhece o quanto deve ter sido difícil para ele, teve empatia e disse ao homem: “obrigada. Isso deve ter sido muito difícil para você.” Oi???? A menina tinha acabado de ficar órfã e agiu com tanta graça diante de uma situação difícil. Podemos ver a mesma atitude quando ela estava acabada depois de receber a notícia de que não iria ao baile. Cinderela se acabando de chorar e encontra uma senhora pedindo por comida. Ela engole o choro e ajuda a mulher. Gente, essa princesa é um arraso!rsrs


3. Cada pessoa tem uma história.

A personagem “ruim” no filme é a madrasta da Cinderela. Mas, no final da história, a gente conhece um pouco do passado dela: casou por amor, perdeu o marido, casou novamente por dinheiro e tenta de tudo para dar as filhas uma vida melhor. Quando é difícil sentir qualquer tipo de simpatia por ela, a personagem nos faz entender que cada pessoa tem uma história. Cada pessoa vive uma vida de altos e baixos, com erros e aprendizados. Nós precisamos parar de julgar o outro. Afinal, não sabemos o leão que cada um precisa enfrentar todo dia e não sabemos o que o outro passa de verdade. As más atitudes não tem justificativa, mas podemos olhar com compaixão e amor para o próximo.


4. Existe uma diferente entre o Sr. Perfeito e o Sr. Perfeito para você

Eu sei que muitas de vocês tem uma listinha para o homem certo. Eu já fiz uma listinha! Mas uma coisa que aprendi durante a minha caminhada e mais agora com esse filme, é de que Deus tem o cara certo para você. Aquele que vai te completar e ser perfeito para você! No filme, o príncipe era o cara que toda menina sonhava. Todas as meninas do reino queriam ser princesas e futuras rainhas. Maaaaas, cada uma delas deveria esperar pelo homem perfeito para elas. Deus tem uma pessoa separa PARA VOCÊ! Uma pessoa que vai te amar do jeito que você, mas que não vai te deixar cometer os mesmos erros. Uma pessoa que vai te fazer ser melhor a cada dia. Alguém que ama as suas falhas assim como ama a sua beleza. Não existe o homem perfeito. Existe o homem perfeito para você e esse é o tipo de homem por quem vale a pena esperar.

5. Não tenha medo de ser quem você é.

Uma coisa que Cinderela tinha era identidade. Ela sabia quem ela era e do que era capaz. Os pais dela construíram isso nela.
E mesmo morando com pessoas tão más e que tentavam fazer com que ele se sentisse inferior e infeliz, Ciderela trata a todos com gentileza porque sabe que isso é “o melhor que elas conseguem fazer”.
Quando Cinderela encontra o príncipe, uma das primeiras coisas que ele pergunta para ela é: de que os outros te chamam? Ela logo responde: não importa como eles me chamam.
Ei, não importa o que os outros pensam a seu respeito! O que importa é o que Deus fala que você é. Nossa identidade precisa estar firmada em Cristo! Precisamos nos achegar a Ele e nos encontrar Nele. Só assim iremos nos enxergar da maneira que Ele nos enxerga.

Não tenha medo de ser quem você e do jeito que você é. Deus te fez assim, uma pessoa linda! E as pessoas que te cercam (e seu futuro ‘príncipe) vão te aceitar do jeitinho que você é! Seja contente com a maneira que Cristo te criou. Vou te contar um segredo: Ele não erra e nunca errou. Você é uma obra-prima de Deus!

AUTORA: Débora Arcuri-Rosendahl
EMAIL: contato@blogdade.com.br
FACEBOOK: facebook.com/blogdade
SITE: blogdade.com.br
YOUTUBE: youtube.com/blogdade
INSTAGRAM: @blogdade
Débora Arcuri-Rosendahl é casada com o finlandês Miikka Rosendahl. Os dois tem uma linda história juntos e testemunham sobre como esperar em Deus vale a pena. Depois de alguns meses de casada, Débora começou a receber vários emails de meninas pedindo conselho na área sentimental e resolveu criar o Blog da Dé. O espaço virtual fala sobre assuntos que toda mulher gosta e tem o principal objetivo de empoderar as mulheres, falar sobre relacionamento e a espera em Cristo. Débora também é jornalista e apresenta o Bagagem de Mão na Rede Super. Um programa semanal com entrevistas e matérias de viagens de vários lugares ao redor do mundo.

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 
mm

Redação Eu Escolhi Esperar