por que o crente não sofreria?

Algo que passa constantemente na minha mente é o sofrimento humano e suas origens, pois como psicólogo tenho encontrado famílias dilacerados pelo sofrimento. A dor tem sua origem na ausência do equilíbrio interno ou externo e quando algo começa a se desorganizar sentimos uma angustia. Quando o assunto é sofrimento buscamos saber quem é o culpado, mesmo ates da solução. A mulher encontrada adulterando, o homem cego de nascença, o coxo, o leproso e qualquer pessoa gerando sofrimento ao próprio corpo ou a outras pessoas tem rapidamente seu julgamento posto normalmente a provada seguinte maneira: “Você pecou é este sofrimento é seu pagamento!”

Ora, e quando encontramos o sofrimento que não tem explicação? Quando pessoas boas sofrem, calamos e ficamos mudo diante de nossa miserável condição limitada e nos postamos diante de nossa pequenez. Não quero me deter diante dessa explicação, mas centralizar na seguinte verdade: O cristão está apto a sofrer!

Tendo um consolador todo cristão está preparado parar passar por situações de adversidades, pois ele tem alguém que lhe compreenda e lhe ajude, pois a promessa de Jesus é uma paz que ultrapassa todo entendimento humano. Desta maneira, podemos entender que é mais fácil ao cristão sofrer, pois tem Cristo consigo, mas o ímpio é eterno e tenebroso sofrer, pois não esperança real e verdadeira e tão pouco um consolador.

Temos um Deus para compartilhar nossos medos e dores, alegrias e vitórias, um Deus que podemos nos relacionar como Pai e filho!

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 

Gustavo Pestana

Sou natural de Ilhéus-Ba, formado em psicologia e graduando em teologia. Membro da igreja batista da Urbis na minha cidade. Amo escrever e compartilhar o amor d Deus. No momento estou trabalhando com missões urbanas. Também trabalho em dois projetos sociais: Um que com crianças com câncer e um com crianças carentes.