Quer parar de sofrer?

Graaaça e a paz, pessoas bonitas!

Vocês já ouviram falar sobre procrastinação?

Não??? Basicamente é o ato de se deixar tudo para depois.

Nós, brasileiros, e não sei em outros lugares, mas aqui no Rio, especialmente, dominamos essa arte.

Eu, como um carioca da gema, nascido em Botafogo, mas torcedor do Flamengo – graças a Deus! – domino a arte. Domino com classe. Haha’

Toda essa graça é só para dizer que deixei para depois o que deveria ter feito há muito tempo e o resultado é que, mais uma vez, vocês serão contemplados com um texto não-inédito. Porém eu quero deixar bem claro que a escolha dele foi responsável, assim como a dos outros.

O assunto é algo atual e recorrente. Muito se fala, mas a impressão que fica é que nossos jovens e adolescentes só ouvem e não estão nem aí. Afinal, você já ouviu falar sobre jugo desigual?

Você quer parar de sofrer em relacionamentos?

Veja bem, não estou dizendo que não teremos problemas no nosso futuro casamento, mas estou falando sobre parar de sofrer com relacionamentos sem futuro, porque são sem propósito.

Quer parar?

Leia e pratique:

Uma coisa que eu faço muito é analisar os relacionamentos das pessoas que me cercam. Alguns só consigo fazer superficialmente, outros, um pouco mais.
Vejo como cada casal se comporta um com o outro nas diversas situações, considero suas particularidades, etc.
E há uma particularidade que percebo que tem feito a diferença positivamente em tempos pós-modernos: ambos professarem a mesma fé.
Obviamente, nesse caso, falo da fé cristã protestante, que é a minha e a desses casais citados.
Não há casal perfeito, não há casal que não tenha opiniões divergentes, e, dificilmente, haja um que não tenha tido uma crise, ao menos, ao longo dos anos. Porém, os casais que encontraram Jesus e agora vivem em função de tomar a forma de Cristo – não só de pensamentos, mas de atitudes também – suportam muito melhor esses dias maus e superam com mais facilidade as diferenças. O testemunho do maior referencial de vida para nós, Jesus Cristo, nos inspira a buscar a excelência do amor citada em 1 Coríntios 13:

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha;”

O que quero dizer com isso?
Simplificando: um casal que tem esse mesmo referencial, procurará agir da mesma forma em todas as áreas da sua vida, inclusive, seu relacionamento conjugal.
Alguns contam suas experiências de tempos ruins e como venceram entregando tudo ao Único que poderia os ajudar. Ser discípulo de Jesus os ajudou a trilharem o caminho árduo da crise e chegarem ao lugar da vitória.
Escrevo tudo isso para que, você que ainda não iniciou o seu relacionamento, considere um conselho muito importante de Paulo:

“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.”

Não crê no que você crê?
Não busca o que você busca?
Não prioriza o que você prioriza?
Não vive o que você vive e luta para viver?
Não insista.
Não existe relacionamento evangelístico.
Se você me mostrar um que deu certo, te mostrarei outros 10 que não deram.

Não aposte na exceção.
Pare de querer achar mais resposta, a palavra é bem específica. Não se engane!
Se você pode escolher ainda, escolha não entrar em jugo desigual.

“Andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?”

Amós 3:3

Andarão?

Até a próxima!

Grande abraço!

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 
mm

Cassio Mota Pedroso

Membro da Igreja Metodista Wesleyana em Jardim Maravilha, RJ. Líder de jovens e evangelismo. Solteiro. 30 anos. Estudante de Comunicação Social (Publicidade e Propaganda). É voluntário do EEE desde 2012.