Home Artigos Tentação x Pecado (Parte 2)

Tentação x Pecado (Parte 2)

3665
0

Se você perdeu a parte 1, clique aqui. 

As vezes pensamos que ninguém mais passa pelo que passamos. Ninguém entende as tentações que passamos.

E lendo a Bíblia entendemos que tem alguém que sabe o que é isso! JESUS

“O nosso Grande Sacerdote não é como aqueles que não são capazes de compreender as nossas fraquezas. Pelo contrário, temos um Grande Sacerdote que foi tentado do mesmo modo que nós, mas não pecou.” Hebreus 4:15

Eu lia e relia esse versículo, mas mesmo assim não conseguia entender. Como que Jesus passou pelas mesmas coisas que eu? Como? Como Ele foi tentado do mesmo modo? Ele viveu numa época bem diferente! Ele não passou o mesmo que eu passo!

Realmente. Hoje, temos toda uma tecnologia que não existia naquela época e que de certa forma, nos tenta, facilitando a queda ao pecado. Internet e televisão são só alguns exemplos.

Então, eu não entendia como “Jesus foi tentado do mesmo modo que nós”, se vivemos coisas totalmente diferentes. Comecei a pedir sabedoria a Deus nessa área, e foi estudando isso mais a fundo que Deus me ensinou muita coisa.

Esse pensamentos de “ninguém me entende” ou “Jesus não passou por isso” são dardos do inimigo. O diabo fica colocando minhoca na cabeça da gente, pra que tenhamos uma desculpa para ceder ás tentações. Pensar que Jesus não passou pelas mesmas tentações ou pensar que Ele não te entende, é um grande erro e devemos tomar cuidado com isso!

A Palavra de Deus diz que “em tudo Ele foi tentado”. Isso significa, EM TUDO! Já parou para pensar que o diabo tentou Jesus 3 vezes?

E quais são as áreas em que somos tentados? As 3 áreas que vimos no último texto.

1. Concupiscência da carne

Em Mt 4:3,4, Jesus é tentado em relação a este desejo. Satanás, percebendo a necessidade física de Jesus, incitou-o a colocar este desejo acima da Palavra de Deus. A última coisa que Deus havia dito para Jesus foi: “Tu és meu filho amado, em ti me tenho comprazido” (Lc 3:22) e agora em detrimento desta verdade o diabo tentou Jesus a satisfazer seu desejo de comer dizendo: “Se tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão”.

Jesus resistiu à tentação deixando bem claro que ele não era governado por este desejo ou apetite, antes sim, pela palavra que procede da boca de Deus.

2. Concupiscência dos olhos

Em Mt 4:8-10, satanás mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares”. O diabo estava oferecendo a Jesus uma maneira fácil de atingir seus objetivos. Na verdade ele estava tentando tirar Jesus do caminho da cruz. O mandamento de Deus era que ele comprasse com seu sangue pessoas de todas tribos, línguas, povos e nações.

Tudo que queremos conseguir tem que ser através da cruz, ou seja, precisamos, antes, entregar para Deus.

Aqui percebemos como este desejo de conquista está ligado com nossa vida de adoração. Jesus não negociou com a prioridade de ser um verdadeiro adorador repelindo o diabo juntamente com sua “generosa” oferta.

3. Soberba da vida

Em Mt 4:5-7, vemos Jesus sendo tentado também nesse desejo. Satanás levou-o ao mais alto pináculo do templo. Jesus estava sendo tentado a impressionar as autoridades religiosas e convencê-los de seus poderes sobrenaturais, atuando como um super-herói em busca da afirmação das pessoas.

“Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.” Lucas 14:11

Temos que tomar muito cuidado em relação à motivação de usar os dons e ministérios que Deus nos tem dado. É aqui que somos tentados a tentar a Deus, temendo aos homens e manipulando o favor deles. A motivação que prevalecia em Jesus era de agradar ao Pai, por isto Ele novamente resistiu à tentação estabelecendo como prioridade o mandamento de Deus: “Não tentarás o Senhor teu Deus” (Lc 4:12).

É importante observarmos aqui, que quando satanás citou as Escrituras (Sl 91:11,12), deixou de mencionar uma frase muito significativa; “…para que te guardem em todos os teus caminhos”. Apenas em harmonia com os propósitos e caminhos de Deus é que desfrutamos de sua especial proteção.

No próximo texto, teremos a parte final.

Baseado no livro “A face oculta do amor”, do escritor Marcos de Souza Borges.

Com amor

Patrícia Geiger

Instagram: @patriciageiger

Fan Page: Patrícia Geiger

Twitter: @patigeiger

Blog pessoal: Ideias no Forno