Toda escolha tem sua consequência

Olá pessoal! Tudo bem com vcs?

Como foi a semana?

Tudo correu bem?

No post de hoje, quero tratar de um assunto que poucas pessoas pensam, mas que faz muita diferença: as escolhas e suas consequências.

O que me motivou a escrever sobre isso, foi uma cena que vi ontem, quando passeava com meu esposo no shopping aqui da minha cidade… Nós estávamos almoçando, e em frente a nossa mesa havia duas meninas e um menino, ambos aparentavam no máximo ter 13 anos. Aquele trio nos chamou a atenção, pois não aparentavam estar apenas lanchando de maneira despretensiosa, mas que algo estava rolando entre uma das meninas e o menino.

Logo eu e meu esposo nos levantamos e fomos dar uma volta pelo shopping e encontramos o trio novamente, só que naquele momento o menino e uma das meninas estavam se beijando. Eu fiquei muito indignada quando vi! Falei para meu marido: “Se essa menina soubesse o quanto é ruim se relacionar nessa idade, ela largaria a mão dessegaroto agora!”

Sabe por que eu me indignei? Porque eu ME VI naquela menina há alguns anos atrás. Eu comecei a namorar muito cedo, e não me tornei experiente em matéria de namoro, mas fui muito ferida. Em meu primeiro relacionamento, eu descobri que se apaixonar dói, principalmente quando somos tão novas. Ao mesmo tempo em que descobrimos inúmeras coisas, também somos expostas a uma série de riscos emocionais, e praticas que deveriam ser guardadas para o momento correto.

Embora eu recebesse muitos conselhos de minha mãe, eu não conseguia ficar sozinha, e por esse motivo emendei um namoro no outro, e sem dar tempo ao coração, eu colecionava decepções.

Hoje eu sei o quanto o Senhor me amou e me preservou mesmo sem eu perceber. Eu poderia ter feito um péssimo casamento, ou ter sido mãe solteira, eu não sei! Mas te garanto que se não fosse à misericórdia de Deus, essas coisas poderiam ter acontecido.

Eu não era uma moça que saia “ficando” com os meninos, mas namorava e por muito tempo ficava literalmente presa em um relacionamento tóxico o qual eu não conseguia terminar. Apesar de saber o que eu deveria fazer, eu não conseguia! Eu tinha medo de ficar sozinha! Tinha medo de abrir mão daquele namorado e achava que estava deixando o “amor da minha vida” ir embora! Muitas vezes não priorizei a minha adolescência e embarcava numa barca furada… Eu era tão desvalorizada (pois acreditava que o meu namorado é que definia o meu valor) que passei a achar que eu era feia, e que todas as meninas eram mais bonitas, que eu não possuía qualidades significativas. Muitas vezes suportei traições para não perder o namorado que tinha. Mas por que isso??? Por que eu não fazia o que deveria?

Tudo se define na ESCOLHA. Vivemos em um mundo onde o que dita à vida é o IMEDIATISMO, e não sabemos respeitar o tempo. Queremos tudo “Pra já!”, “Para agora!” e invertemos a prioridade das coisas. Valorizamos o que é passageiro, pois o que é eterno leva tempo para ser conquistado. Escolhemos o caminho mais fácil, pois o mais longo é árduo e muitas vezes cheio de obstáculos.

Escolher faz parte do que é viver. Na vida sempre poderemos optar. Para Deus é tão importante escolher, que Ele nos deu o livre arbítrio. O próprio Deus nos entregou essa tarefa, e o que temos feito com ela?

Mediante a isso que disse, há algo que anda atrelado a escolha: a CONSEQUÊNCIA.

Foi esse fator que determinou o que eu iria viver, mediante ao que eu vinha escolhendo… Nós decidimos o que queremos, mas não queremos colher o fruto das nossas decisões. Se existe algo que não é opcional é a colheita, a consequência. A semeadura é opcional, mas a colheita é obrigatória.

Quando passei a entender que euvera um risco para eu mesma, decidi mudar a rota e me entregar nas mãos de Deus. Mas saiba que não existe uma entrega de 50%. Com Deus é TUDO ou NADA. Você não pode ser 90% de Deus e 10% do diabo. Não tem como ser 80% cristão e 20% mundano. Quanto mais eu entreguei ao Senhor, mais eu recebi dEle. Quanto mais eu devolvi meu coração para Ele, mais eu fui amada. Quanto mais eu deixei tudo com Ele, mais eu fui curada. Quanto mais vontades eu deixei, mais dEle eu ganhava em mim. Esse amor que eu não sabia que eu sempre tive, passou a me preencher, a me envolver e a ser tudo o que eu precisava. O Sol da Justiça brilhou tão forte que eu nem lembrava das tempestades que passei.

Notou que tudo estava no que eu escolhia??? Eu só estava recebendo a consequência do que optava pra minha vida. Muitas vezes quando conto a minha história, e digo que eu e meu esposo só nos beijamos no altar, as pessoas ficam espantadas, elogiam, mas não querem praticar!!! Sabe por quê? Porque é mais fácil escolher o que todo mundo escolher, querer o que todo mundo quer, e fazer o que todo mundo faz!

Você quer ser igual??? Fazer a diferença não é falar o vocabulário “crentês”, vestir camisas com versículos bíblicos, e ouvir músicas gospel. Fazer a diferença é andar na contramão e viver num conflito com o mundo, por causa de um amor profundo por Jesus!

Hoje você pode ESCOLHER! Como um dia eu escolhi viver o novo de Deus, você pode fazer isso também!

Não escolha apenas ESPERAR em Deus! Escolha também SER DELE!

“Portanto, tenha cuidado como andais, não como homens insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo o seu tempo, porque os dias são maus. Assim, pois, não sejais insensatos, mas procurai compreender qual é a vontade de Deus.” (Efésios 5:15-17)

Até a próxima!

Grande beijo!

Kamila.

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 
mm

Kamila Carvalho Borges

Cristã, advogada, casada com Lincoln Borges.