Valente

Uma das minhas princesas da Disney preferidas é a Merida, do filme Valente. Princesa Merida de DunBroch. Garota corajosa, incomum, forte, dona do próprio destino, diferente das tantas outras princesas que já ouvimos falar. Uma desconstrução de paradigmas. Mas, apesar de toda impetuosidade evidente, Merida não podia fugir das obrigações reais e da cobrança por ser da família real. Por mais que detestasse estar sendo educada e treinada para ser coroada rainha, ela sabia que aquilo estava lá, dentro dela, como um chamado, um destino, por mais que negasse.

Você já se sentiu assim? Como se soubesse o seu propósito e relutasse em aceitar? Você sabe que precisa tomar responsabilidade por algo mas não quer, necessariamente, se comprometer com o processo. Você, talvez, não quer sequer admitir pra si mesmo que, de alguma maneira, você está ligado com aquele destino de uma maneira inexplicável. Você tenta se distrair, tenta esquecer, tenta fugir, mas é como se acabasse se deparando com ele a cada esquina. Você sabe que foi chamado, mas quer continuar fingindo que não é com você. Acho que todos já passamos por isso, em alguma fase. Mas isso tem que ter hora pra acabar um dia. Fugir até quando?

Às vezes, a gente não quer assumir uma grande responsabilidade porque sabe justamente o tamanho daquilo que vamos entrar de cabeça. Às vezes, o que a gente quer mesmo é ficar na margem pra não chegar a tanto, pra não se comprometer. Nem tudo é má vontade, pode ser só o medo de não estar pronto, de cometer grandes erros, de frustrar as expectativas de todo mundo. Pode ser o medo de passar de fase, de crescer, de entrar em território novo. E tudo isso fica emaranhado na cabeça da gente, travando nosso futuro, nossa vida.

Eu acho que, lá no fundo, Merida não acreditava que ela poderia liderar o povo. Talvez ela olhasse no espelho e não conseguisse enxergar quem ela era de verdade. Mas ela não sabia que aquele trono deveria ser dela justamente por causa daquilo que a tornava única. Uma causa nem sempre é assumida pelos melhores, mas por aqueles que tem honra, por aqueles que podem nem sempre ter as respostas, mas estão dispostos a dar sua vida em favor dos outros, a respeitar ciclos, a não tomar tronos. Um líder não é líder porque se diz líder. Lideranças não são estabelecidas de baixo para cima. Elas são estabelecidas de cima para baixo, do Céu para a Terra. E o que é estabelecido por Deus é respaldado por Deus.

“Pois a promoção não vem do oriente, nem do ocidente, nem do sul. Mas Deus é o Juiz: a um abate, e a outro exalta “.

Salmos 75:6-7

Ah, e sobre Merida, ela aprendeu uma lição valiosa…

“Nosso destino está dentro de nós. Só precisamos ser valentes o suficiente para enxergar isso.”

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 

Sâmela Ribeiro

Uma quase engenheira civil que ama café, viagens, gatos, violão, Netflix, gente e Jesus - não necessariamente nessa ordem.