Você é singular


“Nós percebemos a importância da nossa voz quando somos silenciados.”

Malala Yousafzai

 

Era madrugada de 12 de julho de 1997. Do outro lado do mundo, no Vale do Swat, Paquistão, ouvia-se o choro de um bebê. Nascia uma menina. As pessoas da aldeia tiveram pena da sua mãe. Ninguém parabenizou seu pai. É que no Vale do Swat, meninas não protagonizam histórias. Seu papel na vida é cozinhar e procriar. Para a maioria dos patchuns, povo que habita essa região do Paquistão, rifles são disparados em comemoração ao nascimento de um filho, mas o dia em que nasce uma menina é considerado sombrio.

Aos 15 anos, foi baleada pelo Talibã para que se calasse e parasse de lutar pelo direito das garotas paquistanesas de frequentar a escola — 3 tiros, um na cabeça. Foram meses inconsciente, mas o Talibã falhou e ela sobreviveu. Ela lutou enquanto pensava ser invisível, e o mundo, sem querer, conheceu seu nome. Era ela, Malala Yousafzai. Não muito tempo depois, na sede das Nações Unidas em Nova York, ouviu-se a voz da mulher mais jovem do mundo a ganhar o Prêmio Nobel da Paz em um discurso emocionante. Ela não foi calada nem pelas ameaças, nem pelas balas. Sua missão era grande demais para acabar abruptamente. Havia um propósito que não se conhecia enquanto ela corria pelas ruas empoeiradas de Mingora.

O mundo está cheio de pessoas que se sentem completamente invisíveis. Talvez, um dia, saiam do anonimato, talvez seus nomes continuem desconhecidos. Mas isso não significa que algo muito maior que eles mesmos possa estar sendo construído através das suas vidas. Eles, por tantos motivos, pensam ser invisíveis. Mas Alguém os decorou. Não há nenhum detalhe de suas vidas que Ele não conheça. Não há nada que possa ser escondido do Seu olhar. Não há nenhum lugar aonde possam ir que Ele não os encontre. Não há nada neles que não tenha sido memorizado por Ele. Ele vê todas as coisas. Ele vê quando ninguém mais vê.

Embora nossa visão de mundo seja muitas vezes limitada, há um plano de fundo para toda história. Às vezes, grandes propósitos vêm disfarçados de tarefas simples que não queremos fazer. No meio dessa jornada, somos tentados a desistir muitas vezes. Mas nunca, nunca, nunca desista. Deus procura aqueles que estão comprometidos a fazer parte de algo muito maior, algo maior que a própria vida. Ele não cometeu nenhum equívoco ao nos chamar. Ele nos colocou no tempo certo no lugar certo para seu propósito. Seja lá o que for que você precise fazer, faça com todo o amor do mundo, não para homens, mas para Deus. Há um monumento sendo erguido através da sua vida que você não consegue enxergar. Se o mundo vai ou não conhecer seu nome, não importa. O que importa é que sua vida deixe um legado que nem a morte pode apagar. Sua vida aqui ecoa na eternidade, não importa o que digam os homens.

O mundo não sabia quem era aquela garota na madrugada do seu nascimento, mas seu pai sabia. Ele não se envergonhou de uma primogênita menina, como todos os homens da sua aldeia se envergonhariam. Ele a olhou nos olhos assim que ela nasceu e se apaixonou. “Sei que há algo diferente nessa criança”, comentava com as pessoas. Elas riam, mas ele não. O mundo não determina quem somos, mas nosso Pai Celestial já determinou: você nasceu pra algo maior. Há algo singular em você. Eles podem rir, mas Ele não. Ele olha pra você e diz: “Sei que há algo especial em você”.

Sâmela Ribeiro
Sâmela Ribeiro Facebook Twitter Imprimir

Uma quase engenheira civil que ama café, viagens, gatos, violão, Netflix, gente e Jesus - não necessariamente nessa ordem.

seta

CONHEÇA NOSSA LOJA ONLINE