Você se ama?

Eu já ouvi e assisti muitas pregações que nos falam sobre o
grande mandamento:

Amarás, pois, ao
Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu
entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o
segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há
outro mandamento maior do que estes. Marcos 12:30-31

Para falar a verdade, já ouvi muitas pregações e já li
muitos textos e livros que falam sobre amar a Deus e amar o próximo.

E sinceramente, nunca ouvi nada a respeito da parte que diz
como a ti mesmo.”

O que eu normalmente escuto é: você deve negar a si mesmo,
deve amar mais o próximo do que a você, não pode amar mais a si mesmo, não pode
pensar só em você.

Ouvimos muito sobre o amor ao próximo dentro de nossas
igrejas.

Mas e o amor a si mesmo?

É ai que tudo começa: ame ao teu próximo como a ti mesmo. Em
outras palavras: se ame e ame ao próximo.

Só a pessoa que se ama, consegue amar os outros.

Mas infelizmente tenho visto muitos cristãos que não se
amam. Já recebi e-mails e já ouvi amigos meus dizendo isso: eu me odeio, eu não
presto, Deus não me ama.

Como os versículos trazem, é uma ordem:

1.
Ame a Deus, acima de qualquer coisa.

2.
Ame você.

3.
Ame ao próximo.

Não há amor-próprio sem amar a Deus primeiro. Assim como não
há amor ao próximo, sem se amar primeiro.

Conversava com uma amiga sobre isso uns dias atrás. Muitos
solteiros querem encontrar alguém que os ame, o ser humano nasceu com o desejo
de ser amado. Mas como esperar que alguém te ame, se nem você se ama?

Não estou falando de momentos. Todos temos momentos ruins,
momentos que nos achamos feios demais, gordos demais, altos demais, baixos
demais, tenho tal defeito, meu cabelo me
odeia… momentos assim são normais. O que não pode ser normal é uma vida
inteira assim. Uma vida inteira se odiando e achando que Deus também o odeia.

Eu costumava acreditar e pregar o seguinte: se ame como Deus
te fez. Não deixa de ser verdade, mas passei a perceber uma coisa: as pessoas
mudam, nossa mente muda, coisas acontecem em nossas vidas que nos fazem mudar
fisicamente, emocionalmente.

Não quero falar sobre vaidade, não é isso. Mas se você não
se ama do jeito que você é, mude. Em vez de ficar reclamando do tamanho do seu
nariz, do cabelo que não se ajeita, ou dos quilos a mais, mude… mas mude a
sua mente!

Não adianta você querer mudar seu corpo, fazer cirurgia
plástica, colocar silicone, alisar os cabelos se você não mudar a mente. Pode
transformar todo o seu exterior. De nada adianta se você não transformar o seu
interior.

Enquanto você continuar achando que precisa do amor de outra
pessoa, enquanto continuar achando que as pessoas precisam te amar, nada vai
mudar.

Enquanto não aceitar o amor de Deus, nada vai mudar.

A visão deve ser o oposto: eu preciso amar as pessoas. O
amor começa no meu coração. Em primeiro lugar porque eu sei que sou amada por
Deus. Não sou apenas uma criatura, sou filha dEle, Ele se fez carne e morreu
por mim. Isso é amor. Eu sou amada por Deus, assim esse amor deve fluir através
de mim, passando por mim, ou seja, vou amar as pessoas porque eu me amo, e me
amo porque sei que sou amada por Deus.

Na teoria parece complicado, mas não é. Como falei, é
mudança da mente. É relacionamento com Deus.

“Queridos amigos, amemos uns aos outros porque o amor vem de
Deus. Quem ama é filho de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não o conhece, pois Deus é amor. Foi assim que Deus mostrou o seu amor por nós:
ele mandou o seu único Filho ao mundo para que pudéssemos ter vida por meio
dele. E o amor é isto: não fomos nós que
amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e mandou o seu Filho para que, por meio
dele, os nossos pecados fossem perdoados. Amigos, se foi assim que Deus nos amou, então
nós devemos nos amar uns aos outros. Nunca ninguém viu Deus. Se nos amamos uns aos
outros, Deus vive unido conosco, e o seu amor enche completamente o nosso
coração. 1 João 4:7-12

Sugiro a leitura de toda a carta de 1 João.

Com amor

Pati Geiger

RELACIONADO
COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
 

Patrícia Geiger