Início Artigos Até o mel mais doce azeda num recipiente sujo. A hora certa...

Até o mel mais doce azeda num recipiente sujo. A hora certa para entrar em um novo relacionamento.

Quem gosta de passar a vida sofrendo de amor? Acho que ninguém diria sim para essa pergunta. Porém, é uma triste realidade que a juventude tem vivido hoje. Purifique o seu coração antes de permitir que um novo amor entre nele, pois usar um amor para curar o outro é um grande erro.

Você comeria num prato sujo? Colocaria uma roupa rasgada para ir à uma festa? Porque quando se trata do nosso coração, insistimos em investir em um novo amor sem antes ter certeza que superamos totalmente o romance anterior?

Na passagem bíblica de Mateus 9:17 diz: Não se põe vinho novo em odres velhos. Se alguém fizer isso, os odres rebentam, o vinho se perde, e os odres ficam estragados. Pelo contrário, o vinho novo é posto em odres novos, e assim não se perdem nem os odres nem o vinho.
Jesus usa essa metáfora para se referir ao Reino vindouro, mas podemos fazer uma analogia entre ela e o coração humano como se o vinho novo fosse um novo romance e o odre velho fosse um coração machucado do romance anterior.

É interessante despertar para a importância de purificar nosso coração de mágoas, frustrações, resíduos, e qualquer tipo de mazela do relacionamento anterior antes de embarcar em um novo amor. Recompor as emoções leva tempo. E se você quer que o seu próximo relacionamento seja saudável e duradouro, precisa respeitar a si mesmo e as suas emoções antes de avançar.
Saber o tempo certo e refletir a ponto de se tornar a melhor versão de si mesmo, são alguns dos segredos para ter relações estáveis. Mas como a Bíblia diz, nosso coração é enganoso (Jr 17:9). Quando nos apaixonamos, ficamos “cegos” e quando menos percebemos, estamos totalmente envolvidos e só analisamos as consequências depois. Por isso, ame com o cérebro e não com o coração.

Há cerca de um ano eu vivi a experiência do término de um namoro e foi bem doloroso. Poucos meses depois, apareceu um rapaz interessado em mim, cheio de boas intenções. Ele era super bonito, interessante e “de Deus”. Eu poderia ter cedido e me envolvido com ele… (quem sabe ele me ajudava a esquecer o outro, porque afinal é isso que a gente pensa ao se envolver com outra pessoa), mas como o texto acima diz o vinho e o odre seriam perdidos, ou seja, eu além de não estar pronta para um novo amor, ainda sairíamos ambos feridos (porque eu não estaria inteira e ainda ia defraudar o rapaz nutrindo expectativas que eu não poderia cumprir naquele momento). O coração dele estava livre e o meu estava parcialmente ocupado ainda.
Portanto, precisamos avaliar todo o contexto e não agir apenas com o nosso coração mas avaliar as consequências para nos proteger e proteger ao outro também.

Quero sugerir alguns vídeos que vão te ajudar a avançar caso você esteja neste dilema:

Vídeo 1: O romance terminou. E agora? (Eu Escolhi Esperar) – https://youtu.be/OfC9SdEv-b0

Vídeo 2: Como processei minha dor. (Laura Souguellis) – https://youtu.be/QrmQYXysmGU

Espero que a leitura desse artigo abençoe a sua vida e seu coração e que o Senhor direcione sempre todas as suas escolhas.

Um beijo grande,

Carla Duarte.

Me segue lá no Instagram: @carladuarte.rj