Home Escolhas e Decisões Se eu seguir as regras, tudo vai dar certo?

Se eu seguir as regras, tudo vai dar certo?

8321
0

Por um bom tempo, eu acreditei que existia uma pessoa certa, algo quase místico, reservada para cada pessoa que seguisse as “regras” certinho. Chame do que você quiser: alma-gêmea, cara-metade, seja qual for o nome piegas que se use pra definir “a pessoa certa”. Pra mim, era simples assim: você segue as regras e tem direito a uma pessoa certa na vida. Não é assim que funciona?

Não. Não é assim que funciona. A vida não é uma eterna barganha com o universo. Nem todo mundo que faz tudo certo recebe de volta aqui e agora tudo o que merece; assim como nem todo mundo que faz tudo errado recebe de volta aqui e agora tudo o que merece. Não fique tentando entender. Há um Justo Juiz pra isso. Tire esse conceito de que a vida é uma barganha da sua cabeça. Esse pensamento é tóxico. Você não pode querer trocar “seguir regras” por “coisas boas”. No começo isso pode até funcionar, mas depois de um tempo isso se torna insustentável. Porque tudo vai muito além de regras — é uma questão de princípios.

Estou dizendo que você não precisa seguir regras de boa conduta? De maneira nenhuma. Estou dizendo que não podemos nos perder nesse caminho. Sabe por quê? Porque se a gente se perde nesse caminho, no exato momento em que as coisas derem errado, procuraremos um culpado, jogaremos tudo para o alto e decidiremos contrariar todas as regras que antes seguíamos. É como anjos que se tornam demônios. E isso é muito perigoso.

O que quero dizer é que as regras são apenas diretrizes e elas podem mudar dependendo de uma série de fatores, como cultura, região e tempo, por exemplo. O que não muda são os princípios. Esses são imutáveis. E é completamente diferente viver por princípios do que por regras. Princípios não são anjos passíveis de se tornarem demônios. Princípios nunca falham.

Tentei acreditar nessa coisa toda mística e/ou Hollywoodiana que relaciona seguir regras com encontrar a pessoa certa e falhei miseravelmente. Eu estava errada. Não é uma barganha. Não era do jeito que eu imaginava. Nem sempre vai dar certo de cara, nem sempre vai ser tudo flores. Seguir todas as regras não é a garantia de uma vida isenta de tribulações. Eventualmente iremos cometer erros, chorar um pouco, conviver com o arrependimento, e isso não é o fim do mundo. Isso é a vida. Com sabedoria, vamos aprendendo a viver. Ao aprender a viver, descobrimos que ter princípios não nos livra de chorar de vez em quando, mas nos direciona para um caminho cada vez mais excelente. E nesse caminho coisas boas são consequência. Não há barganha.

Ah… “Se eu seguir as regras, tudo vai dar certo?” Não sei. Mas sei que, se você viver princípios… Mesmo quando as coisas derem errado, as coisas terão dado certo. Não me pergunte porquê. Esse é mais uma das belas contradições da vida que a mente humana é incapaz de compreender.

Foto: Renata Guimarães Photography