Home Artigos O Diário de Uma Paixão

O Diário de Uma Paixão

5876
0

“Em tempos de miséria e sofrimento, te abraçarei, darei aconchego, farei de sua dor minha dor. Quando você chora, eu choro; quando você sofre, eu sofro. Juntos, tentaremos conter a torrente de lágrimas e desespero, superar os mistérios da vida.” (O Diário de Uma Paixão)

 

Allie e Noah são os protagonistas desse filme, já viu? É aquela velha história: duas pessoas distintas que se conhecem, se apaixonam e enfrentam as dificuldades da vida juntos. O Noah, em um dado momento, reforma uma casa e oferece a Allie como prova do seu amor por ela.

E como uma fã declarada dos filmes de água com açúcar, me deparei lembrando dessa história. E, talvez você queira ler o que eu entendi desse filme. E aí? Vamos? Eu te prometo que não será nada clichê e você vai gostar – mesmo que no fundo do seu coração você prefira filmes de guerra, de corridas, ou de mulheres empoderadas e que mudam o mundo. Allie mudou o mundo do Noah, e isso é suficiente para analisarmos mais de perto essa história que já fez milhões de pessoas chorarem (a autora desse artigo está inclusa nessa contagem).

Ele, Noah, constrói e reforma uma casa. Mas o que de fato seria uma casa para nós? Não tem como cada um construir uma casa para a pessoa amada, não teria espaço suficiente. Concorda? Então, vamos entender casa nesse texto como coração, aquilo de mais precioso que você tem aí dentro de você.

A casa é um lugar nosso, particular. Transmite liberdade e aceitação. É o ambiente de acolhimento, de entrega. Se a sua vontade é ter alguém para compartilhar a vida e viver momentos preciosos juntos, já te adianto que o seu coração precisa ser casa.

É necessário, no entanto, que algumas reformas sejam feitas. A poeira precisa ser tirada, móveis precisam ser transformados ou mudados de lugar. Limpar o ninho, para que haja espaço para coisas novas surgirem e decorarem o espaço. É proteger o coração.

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarde o seu coração…” (Provérbios 4.23)

Viver cada dia com os pensamentos limpos, com perdão, com misericórdia. Até que a casa esteja cheia de coisas que transbordem em outras pessoas. É permitir que o passado seja apenas lembrança, superar o que não combina mais com as cores das paredes da sala de estar.

Nem sempre as histórias da tela do cinema acontecerão – acredite em mim. E está tudo bem. Proteja seu coração contra essas altas expectativas. Não é esse nosso objetivo como equipe de colunistas do EEE. Temos orado para que cada coração encontre uma casa para repousar e que na mesma medida, também seja casa.

Mas há de se dizer que não será tão fácil. Projetos e reformas levam tempo. E por vezes, podem doer. Entretanto,  a dor não é maior do que a glória que será revelada (Romanos 8.18). Lembre-se que ela é necessária para que apreciemos a vista, a vida e os relacionamentos.

Então, mãos à obra! Hoje é um novo dia para cuidar do seu coração, não desanime. Equipe-se com os materiais necessários para a reforma e tenha coragem para os desafios que virão. Muita coisa terá que sair do lugar – talvez fique bagunçado por um tempo. Mas permanecerá a verdade que era para permanecer.

 

 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO: